Partindo da Base

Este blog foi criado no âmbito da aplicação dos conhecimentos teóricos adquiridos durante as aulas de Jornalismo On line, uma cadeira ministrada no segundo semestre do II ano, na Universidade Eduardo Mondlane. Este blog faz alusão a assuntos políticos, económicos, sociais pessoais do único membro do presente blog e entre outros assuntos. Vale dizer, é generalista. Os conteúdos nele contidos são da inteira responsabilidade do seu autor.

A minha fotografia
Nome:
Localização: Maputo, Polana, Mozambique

Sou um jovem estudante de Jornalismo na Universidade Eduardo Mondlane, em Moçambique. Sou uma pessoa com muita vontade de aprender, de conhecer cada vez mais pessoas novas, lugares novos... Detesto por natureza todas mulheres viciadas, vale dizer, que abusam o sexo, as bebidas alcoólicas e o fumo. Pior ainda, aquelas que até consomem drogas. Adoro tanto assistir "clipes" de música rap.

quarta-feira, setembro 14, 2005

Em Mocímboa da Praia

Fraude da Frelimo leva à manifestações da Renamo e à morte de cerca de dez pessoas Nas manifestações que ocorreram em Mocímboa da Praia, na província nortenha de Cabo Delgado, entre os dias seis e sete de Setembro último, que tiveram por saldo, cerca de dez mortos, cerca de meia centena de feridos, quatro casas destruídas e vinte e cinco incendiadas, a Frelimo é o principal culpado. A Frelimo é a Renamo são responsáveis pelos danos causados pelas manifestações, mas persiste a superioridade da culpabilidade da Frelimo relativamente à da Renamo, porque o processo eleitoral para a presidência daquele município foi manchado por uma fraude perpetrada por agentes da Frelimo. Muitos órgãos de comunicação, como são os exemplos dos Jornais Zambeze, do média Fax “testemunharam” denunciando muitas irregularidades que mancharam aquele escrutínio constatadas por muitos observadores independentes e que não foram tidas como válidas ou sancionadas. Consta que durante a realização das eleições houve muitas irregularidades. O Boletim número 32 da AWEPA refere que: “presença excessiva de polícias nas ruas e a prisão de quatro dos funcionários da Renamo na noite da contagem de votos, que estiveram libertos 24 horas depois. A Renamo e os observadores nacionais acusaram a polícia de mão pesada e parcialidade. Na Escola Primária de Pandique e Nandadua 100 de um total de 745 votos da Renamo foram tornados nulos.” Face a isso, a Renamo submeteu um recurso junto ao Tribunal Constitucional, mas este foi indeferido alegadamente porque não se poderia repetir-se o processo eleitoral por uma irregularidade que não fosse susceptível de levar à alteração dos resultados da votação. É devido a impunidade dos infractores e ao silêncio cúmplice do Governo que surgiram aquelas manifestações. É culpado o Governo moçambicano que nada faz para o benefício do País, se não traçar esquemas de corrupção, de crime organizado, de furto ao erário público e de políticas para poder se manter no poder através de eleições fraudulentas. As das eleições intercalares a que me refiro, foram realizadas a 21 de Maio último, disputadas pelos candidatos Amadeu Pedro, da Frelimo, e Saíde Assane, da Renamo, para a presidência daquele Município que tiveram que se realizar, devido à morte do então presidente, Camissa Abdala, ocorrido a 18 de Outubro de 2004. A Renamo é o maior partido da oposição em Moçambique. A foto é de Afonso Dlhakama, presidente da Renamo

1 Comments:

Blogger Partindo da Base said...

Sem querer ofender sensibilidades, parece-me que o Governo só luta para se manter no poder mediante eleições fraudulentas. Já que ocorrem fraudes e os infractores continuam impunes.

segunda-feira, novembro 14, 2005 1:20:00 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home