Partindo da Base

Este blog foi criado no âmbito da aplicação dos conhecimentos teóricos adquiridos durante as aulas de Jornalismo On line, uma cadeira ministrada no segundo semestre do II ano, na Universidade Eduardo Mondlane. Este blog faz alusão a assuntos políticos, económicos, sociais pessoais do único membro do presente blog e entre outros assuntos. Vale dizer, é generalista. Os conteúdos nele contidos são da inteira responsabilidade do seu autor.

A minha foto
Nome:
Localização: Maputo, Polana, Mozambique

Sou um jovem estudante de Jornalismo na Universidade Eduardo Mondlane, em Moçambique. Sou uma pessoa com muita vontade de aprender, de conhecer cada vez mais pessoas novas, lugares novos... Detesto por natureza todas mulheres viciadas, vale dizer, que abusam o sexo, as bebidas alcoólicas e o fumo. Pior ainda, aquelas que até consomem drogas. Adoro tanto assistir "clipes" de música rap.

quinta-feira, agosto 17, 2006

Patronato engana trabalhadores

Um grupo de ex-trabalhadores da empresa de segurança privada, Bassopa Lda., falida em 2004, acusa os sócios daquela empresa, Henderikus Son e Alkis Jorge Macrópulos de ter-lhes enganado, dizendo que iria transferi-los até que reconquistasse o controlo da operação da empresa. "Em Setembro de 2004, a Bassopa transferiu os nossos colegas poucos a poucos para a empresa Arkhe Risk Solutions Lda., alegando que a transferência era temporária, devido aos problemas que enfrentava e que retornariam à Bassopa, mal que reconquistasse o controlo da operação da empresa", contam as fontes, frisando que “no início dizia-se que a proposta de integração na Arkhe Risk Solutions Lda. era numa base individual e voluntária o que mais tarde não veio a consumar-se porque seleccionaram os mais espertinhos e incorporaram-nos na Arkhe”. De acordo com as fontes que preferiram não identificar-se, só tarde é que o procedimento adoptado pelos proprietários da Bassopa demonstrou-se tratar-se de uma estratégia que visava enfraquecer o sindicato e corromper a sua união para de seguida declararem a falência da empresa. Aliás, consta numa carta datada de 29 de Setembro de 2004 cujo destinatário é o Ministério do Interior a que o A TribunaFax teve acesso, que a integração dos trabalhadores da Bassopa à Arkhe Risk Solutions Lda. seria numa base voluntária e individual. Os trabalhadores que não estivessem interessados continuariam pertencendo à Bassopa porque, segundo lê-se no aludido recado, a medida estava em prol de permitir um controlo eficiente da operação até a reconquista do mercado. Os nossos interlocutores dizem estar indignados pelo facto de terem sido despedidos após tantos anos de trabalho, alegadamente, pelos roubos sistemáticos dos trabalhadores nos seus postos, facto que teria, na argumentação do patronato, levado à perca da credibilidade da empresa perante os seus clientes. “O patronato alegou que a Bassopa foi à falência por causa de roubos”, afirmam as fontes. Numa acta de reunião datada de 24 de Novembro em nosso poder, o sócio minoritário, Macrópulos arrola casos de roubos, supostamente perpetrados pelos seguranças, dos quais o pagamento dos prejuízos às empresas AIM da Matola, um valor de 47 mil dólares e a Broron um montante de 3 mil dólares. Entretanto, para os nossos interlocutores, houve, pela parte dos proprietários da Bassopa, uma deliberada vontade de fechar a empresa. “Não se justifique que Son e Macrópulos tenham alegado o roubo para decretar a falência da empresa. Antes dos supostos roubos, a Bassopa entrou como sócio na Keepers Security. Era o começo da falência engendrada” afirmam as fontes, reiterando que “em Janeiro de 2003, antes da retromencionada reunião, os sócios de Bassopa entraram como sócios maioritários na Mint-Master Segurança Moçambique Lda., com 80 por cento das acções, cerca de 20 milhões de meticais”, contam as fontes que vimos a mencionar. “Como é que uma falência, se bem que assim se possa chamar, ser antecedida por retirada de acções e injectados noutras empresas?”, questionam. Não foi possível ouvir os sócios da Bassopa porque enquanto prometeram nos que Macrópulos iria entrar em contacto connosco no passado dia 8 mal que voltasse dos seus negócios não o fez Son esteve ausente no seu local de trabalho.