Partindo da Base

Este blog foi criado no âmbito da aplicação dos conhecimentos teóricos adquiridos durante as aulas de Jornalismo On line, uma cadeira ministrada no segundo semestre do II ano, na Universidade Eduardo Mondlane. Este blog faz alusão a assuntos políticos, económicos, sociais pessoais do único membro do presente blog e entre outros assuntos. Vale dizer, é generalista. Os conteúdos nele contidos são da inteira responsabilidade do seu autor.

A minha foto
Nome:
Localização: Maputo, Polana, Mozambique

Sou um jovem estudante de Jornalismo na Universidade Eduardo Mondlane, em Moçambique. Sou uma pessoa com muita vontade de aprender, de conhecer cada vez mais pessoas novas, lugares novos... Detesto por natureza todas mulheres viciadas, vale dizer, que abusam o sexo, as bebidas alcoólicas e o fumo. Pior ainda, aquelas que até consomem drogas. Adoro tanto assistir "clipes" de música rap.

quinta-feira, outubro 12, 2006

Moçambique exporta castanha para Canadá

Moçambique vai, no presente ano, voltar a exportar a amêndoa de caju para Canadá, desde parou de exportá-la em 2003.A toranja é outro produto que à semelhança da castanha de caju foi identificada como tendo um potencial de exportação imediata para Canadá.A iniciativa enquadra-se no âmbito do projecto de ligações de mercados agro-alimentares, que é parte do Programa de construção de Capacidade Africana para o Comércio, PACT, financiada pelo Fundo de Canadá para África, CFA, anunciado na cimeira dos G8 de 2002.Uma equipa de constituída por 5 pessoas, três representantes de companhias que operam com a toranja e caju, duas do governo vai se deslocar àquele País Ocidental na primeira semana de Outubro, numa missão que visa explorar os potenciais activos para a colocação dos seus produtos.A equipa vai reunir-se em Canadá, com importadores, canadianos e americanos, comerciantes, retalhistas e potenciais investidores em Montrel, Chicago e Toronto.O Presidente do Conselho de Administração, PCA, do Instituto para a Promoção de Exportações, IPEX, João Macaringue afirmou, quarta-feira, num seminário realizado na FACIM, inerente à apresentação de oportunidades de acesso ao mercado canadiano, que o contributo do comércio externo deve ser entendido na maximização das receitas de exportação e Moçambique tem imensos recursos que podem ser transformados em riqueza em prol do desenvolvimento econímico e social.O director geral do IPEX, José Fernando Jossias, disse ao A TribunaFax ser prematuro avançar as quantidades de castanha de caju e toranja que vão ser exportadas para canadá e, por conseguinte, dizer o que significará para o País, em termos de receitas.“Tudo dependerá da situação que a equipa que se deslocará para Canadá em Outubro vai constatar no terreno. O que posso avançar é que interessa-nos maximizar as nossas exportações para que o País possa crescer economicamente”, disse Jossias.A fatia de Moçambique concernente à venda de castanha de caju no mercado canadiano descresceu nos anos recentes, apesar de nos últimos anos o mercado canadiano de importação de caju ter crescido, em 60% entre 2002 e 2004. Moçambique vendeu um grande volume da amêndoade caju para Canadá em 1998, desde que começou com a expotração.O alto PIB per capita canadiano, com um impressionante registo de crescimento econímico e abertura à importações tormam-no um mercado atractivo.Um relatório de um estudo sobre as oportunidades de mercado de Canadá em nosso poder indica que as oleaginosas, o tabaco, o chá, o açúcar as especiarías, os mariscos, os metais, minerais e produtos de madeira são outros produtos moçambicanos que, na opinião do Gabinete de Facilitação de Comércio do Canadá, TFOC, cuja venda poderia ser expandida para o Canadá.Segundo o relatório, muitos dos produtos altamente cotados nas exportações agrícolas de Moçambique para outros países são os mesmos que o Canadá compra.Refira-se que Moçambique e outros Países Menos Desenvolvidos, LDCs, receberam acesso previlegiado ao mercado canadiano por muitos anos, através de um sistema de tarifa, da Tarifa de Preferência Geral e aquele país anunciou em 2002 na Cimeira de Kananaski que o Fundo do Canadá para Africa, CFA, tem disponível 500 milhões de dólares canadianos.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home